terça-feira, 14 de julho de 2009

Noel





Estava trabalhando como papai noel. Tirou a sorte grande, nada de trabalhar no centro, debaixo do sol, acenando com a mão para os carros. No shopping ficava sentado em uma grande poltrona, acolhido pelo ar condicionado. Tivera de mudar a cor da barba e os cabelos para branco. Usava um óculos quadradinho sem grau, a barriga era verdadeira.
Todos gostavam dele e os seguranças cumprimentavam-no quando chegava pela manha.
Acordava as oito, sentava no sofá e bebia rum ou uísque ate as dez, depois um banho e estava pronto para mais um dia.
O shopping ficava a algumas quadras dali, portanto não precisava ir de carro. Afinal iriam achar estranho quando o vissem dentro da Mercedes.
Podia usar a desculpa que deu para os amigos “ganho pouco como papai noel e poderia nem ganhar nada, já que dinheiro não me falta. Apenas realizo um grande sonho”, porém preferiu evitar especulações. Apenas ele sabia o verdadeiro motivo, e como era bom. meu Deus! Vinte, trinta, cinqüenta crianças fazendo fila para sentarem no seu colo.
Algumas usavam saias largas e ao se sentarem encostavam a calcinha na sua perna.
Aqueles dias estavam sendo os melhores do ano. Era quase tão feliz como na época que trabalhara em um berçário.

2 comentários:

  1. No meio jurídico, não há uma lei específica tida como pedofilia. Os crimes cometidos por pedófilos apenas se encaixam em outros crimes para que estes sejam penalizados. Mesmo assim, é crime.

    ResponderExcluir