segunda-feira, 20 de julho de 2009

Lilian


Lilian estava andando pela rua quando ele se aproximou dando lhe um abraço. Não se viam à algumas semanas e isso já era um bom motivo para treparem. Desceram a rua chegando ao apartamento dele, que por sorte ficava perto. Pediu para que ficasse nua e deitasse na cama que voltava em breve.
Foi até a sala e abriu a gaveta do móvel da televisão. Um bom pedaço de ferro com mais ou menos um metro de comprimento estava guardado ali. Ao chegar no quarto ela continuava deitada, estava de costas para a porta vendo umas fotografias antigas, quando recebeu a primeira de muitas. No começo ela gritou, mas conforme o ferro descia foi ficando quieta, quem sabe gostando da brincadeira.
Quando terminou, ela já estava morta a um bom tempo, bateu mais algumas vezes, assim aproveitou para fazer exercício. Levou o corpo na banheira, voltando pro quarto. Recolheu alguns pedaços, trocou o lençol, deitou na cama e dormiu. Mais tarde pensaria em alguma solução.

Um comentário:

  1. saudade macabra. e ela nem imaginava que este seria seu último abraço.

    ResponderExcluir