sexta-feira, 31 de julho de 2009

Empregadinha


A empregada recém contratada, tremia ao ouvir a voz do patrão. Toda nervosa, por ter quebrado um vaso chinês, limpava agora o banheiro. Derrubara a escova de dentes do patrão na privada. “Oh meu Deus! Não posso perder esse emprego” pensava ela. Como iria dar a noticia? E se colocasse a escova de volta no lugar e ele sentisse o gosto e o cheiro? Por um azar as cerdas bateram e um restinho de fezes grudadas na porcelana. A escova flutuava. Pensara em puxar a descarga, mas entupiria. “Não; não. Isso seria pior.” Dava voltas circulares pelo banheiro com as mãos na cabeça. Decidira ter uma cúmplice, se ela fosse para a rua, levaria a governanta junto. A governanta ao ver a cena, com a oportunidade de ganhar a confiança do patrão austero. Já dizia.
Ele saberá de tudo!
Tudo? – cara de choro – tudo não. Vamos devolve-la ao lugar.
Se fosse para esconder porque me chamou? Saberá de tudo.

As horas passaram e ela já arrumara seus poucos trapos na mochila. Sentada na lavanderia, esperava pela demissão. Quando o patrão chegou, a governanta chamou a empregadinha e o patrão ao banheiro. E levantou a tampa. Veja isso:

Isso o que? – Perguntava o patrão.
Isso senhor. A escova.
Quem fez isso? Você?
- Eu não patrão, foi ela – aponta para a empregadinha que nesse momento já chora.
O patrão levanta a manga da camisa e pega a escova. A mão pingando água pelo banheiro enojava a governanta que disfarçava seriamente. Coloca pasta e escova os dentes.

3 comentários:

  1. um tapa na cara da governanta. mas ... que coragem! kk

    ResponderExcluir
  2. Bom, muito bom!
    O ritmo de postagens caiu?

    ResponderExcluir